Schumpeter – o economista clássico que fala da inovação

Vamos falar desse importante economista que viveu cem anos atrás e mesmo assim suas ideias permanecem até os dias de hoje. Assim como suas teorias serviram como base para o Manual de Oslo que tem um post especial só dele.

Descreverei um pouco sobre sua biografia e sobre sua obra “Teoria do desenvolvimento econômico: Uma investigação sobre lucros, capital, crédito, juro e o ciclo econômico”.

 

Joseph Schumpeter (1883 – 1950) – foi um economista austríaco do século XX. Em 1901 Schumpeter ingressou na faculdade de Direito da Universidade de Viena. Em 1907 Schumpeter  foi Conselheiro de finanças de uma princesa egípcia. Em 1919, assumiu o posto de ministro das Finanças da República Austríaca. Em seguida, assumiu a presidência de um banco privado, o Bidermann Bank de Viena, que faliu em 1924.

Depois desta passagem desastrosa pela administração pública e pelo setor privado, decidiu voltar a lecionar, desta vez na Universidade de Bonn, Alemanha, de 1925 a 1932. Viajou pelos Estados Unidos, para onde se transferiu, em 1932, assumindo docência na Universidade de Harvard. Ali permaneceu até sua morte, em janeiro de 1950, pouco antes de completar 67 anos. Schumpeter foi muito estimado por seus alunos seguidores.

As teorias econômicas de Joseph A. Schumpeter

Schumpeter supõe um Estado organizado comercialmente, no qual vigoram a propriedade privada, a divisão do trabalho e a livre concorrência. O autor supõe produzir-se uma tendência ao equilíbrio geral entre os agentes econômicos, em equilíbrio estático é denominado fluxo circular, no qual a atividade econômica se apresenta de maneira idêntica em sua essência, repetindo-se continuamente.

A ruptura do mundo estacionário e também o início de um processo de desenvolvimento. Para Schumpeter, é o produtor que, via de regra, inicia a mudança econômica, e os consumidores são educados por ele. Um entre os inúmeros exemplos desse fenômeno diz respeito ao incrível avanço dos modelos de telefones celulares. O fluxo circular é rompido pela máquina capitalistaAs inovações constituem o motor do processo de mudança que caracteriza o desenvolvimento capitalista. Dessa forma, o desenvolvimento é definido pela realização de inovações.

 

Schumpeter classifica essas modificações da seguinte maneira: A introdução de um novo bem; A introdução de um novo método de produção; A abertura de um novo mercado; A conquista de uma nova fonte de oferta de matérias-primas; O estabelecimento de uma nova organização de qualquer indústria.

O autor chama empreendimento a introdução de uma inovação no sistema econômico e empresário. O resultado da atividade empreendedora é o lucro.  A introdução de uma inovação no sistema econômico é chamada por Schumpeter de “ato empreendedor”, realizada pelo “empresário empreendedor”, visando a obtenção de um lucro. O “lucro extraordinário”, isto é, o lucro acima da média exigida pelo mercado.

Schumpeter foi o primeiro a enfatizar a importância da inovação como fonte principal da dinâmica do desenvolvimento capitalista. Para Schumpeter (1985), após uma inovação, a firma irá ganhar uma  vantagem competitiva, com ganhos econômicos.

Logo que a inovação seja lançada no mercado, irá surgir uma grande atração de inovadores adicionais, isto é, de imitadores. Os lucros provenientes da inovação serão cada vez menores, já que estarão sendo divididos com mais firmas.

 

Mesmo com o sistema capitalista sendo movido por inovações, Schumpeter ressalta que a lógica econômica prevalece sobre a lógica tecnológica. “E em consequência vemos na vida real cordas rotas em vez de cabos de aço, animais de tração defeituosos ao invés de linhagens de exposição, o trabalho manual mais primitivo ao invés de máquinas perfeitas, uma desajeitada economia baseada no dinheiro em vez de circulação de cheques, e assim por diante. O ótimo econômico e o perfeito tecnologicamente não precisam divergir, no entanto o fazem com frequência, porque métodos que são tecnologicamente inferiores ainda podem ser os que melhor se ajustam às condições econômicas dadas”.

Mesmo com o sistema capitalista sendo movido por inovações, Schumpeter ressalta que o crédito é essencial ao processo econômico. Fornecer o crédito necessário para a realização das inovações é função de uma categoria de indivíduos denominada capitalistas.

Sintetizando, para Schumpeter o impulso fundamental que inicia e mantêm o funcionamento da máquina capitalista decorre das inovações. Dessa forma, percebe-se que suas ideias permanecem bastante atuais, onde se discute, entre outras coisas, a implementação da Lei de Inovação no Brasil.

 

Joseph A. Schumpeter
São Paulo: Abril Cultural, 1982 (Coleção Os
Economistas)

Professora Dra. Patricia – Adaptado de Marcos Paulo Fuck

Segue o livro de Schumpeter “Teoria do desenvolvimento econômico: Uma investigação sobre lucros, capital, crédito, juro e o ciclo econômico” na íntegra para download: os economistas

Seguem meus slides feitos de resumo da biografia e teorias do economista: Schumpeter Teoria do desenvolvimento econômico

About Patricia Matsuda

Possui Graduação em Administração Pública pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2006). Mestrado (2010) e Doutorado (2015) pelo Programa de Pós Graduação em Engenharia de Produção da Universidade Federal de São Carlos. Realizou o doutorado sanduíche na University of Manchester - Manchester Business School (06/2013 - 04/2014). Foi Professora Universitária das Faculdades Integradas de São Carlos pelo período de dois anos (2007 - 2009). Foi bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) desde 2011 até 2014. Participa do Núcleo de Estudos em Sociologia Econômica e das Finanças (NESEFI). Foi Professora da disciplina de Operações, Serviços e Sistemas Produtivos II e orientadora de TCC no curso de Administração na Faculdade Sumaré. Ainda na Faculdade Sumaré foi Professora Conteudista da disciplina de ensino à distância Aplicação e Análise de Casos desde 2014 até 2017. É atualmente Professora da disciplina de Gestão Estratégica da Inovação e Teoria da Inovação e Competitividade para o curso de Administração no Centro Universitário da FEI - Unidade São Bernardo do Campo. Participa ativamente de eventos de Empreendedorismo, criatividade, inovação e startups como: Avaliadora na Bootcamp Final e Demoday do InovAtiva Brasil ; Palestrante na Oficina de criatividade e inovação do FEI Portas Abertas ; Avaliadora no Pitch Fight do Centro Universitário FEI ; Participação da organização do Congresso de Inovação no Centro Universitário FEI; Avaliadora de projetos no evento Inova FEI; Jurada no Startup Weekend edição ABC. Atualmente conduz pesquisas de iniciação científica com alunos do Centro Universitário FEI, com bolsa Pipex, nos seguintes temas: Startup Enxuta, Empresas do Cubo, Análise de ativos intangíveis, Startups abertas, Wenovate, Aceleradoras e Incubadoras de startups.
View all posts by Patricia Matsuda →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *