Curso de inovação online Nagi poli

Existe um curso de inovação elaborado pelo Nagi Poli, que é muito bom. Tiro muito de minhas ideias por lá:

Segue o link do curso online gratuito:

http://nagi-pro.poli.usp.br/course/view.php?id=2

Fiz um resumo com tópicos que são tradados em cada bloco de vídeos do curso:

Introdução à Gestão da Inovação

Autores: NAGI – Poli USP

Bloco 1 – Introdução à Gestão da Inovação

O que é inovação: conceitos básicos – Mario Sergio Salerno (11:44)

  • Descoberta, invenção e inovação
  • Porque inovar?
  • Quais os desafios para inovar?
  • Inovação não é fruto do acaso, é organizável e gerenciável

O que é inovação: tipos e graus – Mario Sergio Salerno (10:37)

  • Inovação incremental / Radical
  • Tipos: Produto, processo, marketing, organizacional, de modelo de negócio

O que é inovação: estratégias empresariais e inovação aberta – Mario Sergio Salerno (9:05)

  • Estratégia de menor preço ou de diferenciação
  • Inovação Aberta – tratar o negócio como uma rede de atores: cliente, fornecedor, concorrente, investidor, etc.

O que é inovação: como começar a inovar – Mario Sergio Salerno (15:02)

  • Cópia é um instrumento de aprendizagem
  • Engenharia – Análise de valor – Desmonte (atribuição, multiplicação, agrupamento, simplificação do produto)

Estratégia – Adriano Proença (22:21)

  • Manter negócio sustentável no longo prazo
  • Proposta de valor (do Canvas)
  • Diferenciação (mais caro) ou baixo custo?
  • Foco em um nicho
  • Recursos, transformação, output (bens e serviços) – Atividade principal
  • Atividades de apoio

Liderança – Ricardo Buonanni (16:46)

  • Peter Drucker diz que líderes natos podem existir, mas a liderança pode e deve ser aprendida
  • Liderar x Gerenciar
  • Líder – Experiência de vida, tem seguidores, seguidor se compromete
  • Gerente – Conhecimento técnico, tem subordinados, subordinado obedece,
  • Líder tem que ser exemplo, tem que ter presença, firmeza, responsabilidade, ser ativo, administrar talentos, clareza de visão, alata auto-estima e cuidado com a arrogância, sabendo quando está errado.
  • Gerente é diferente de líder, pois ambos tem a espada da delegação, o conhecimento, mas somente o líder tem o batismo de comprometimento e reconhecimento de sua equipe.

Planejamento tecnológico e a abordagem Technology Roadmapping – André Fleury (14:25)

  • Identificar a tecnologia, selecionar a tecnologia, desenvolver ou fazer aquisição da tecnologia, proteger a tecnologia e por fim explorar a tecnologia, alinhar a tecnologia com sua empresa
  • Ao explorar a tecnologia, pode-se vender, licenciar, fazer parceria ou montar nova empresa

Abordagem de ecossistema de inovação – Leonardo Gomes (13:02)

  • Interdependência entre universidade, startup, laboratório e P&D, fornecedores, etc.

Portal da Inovação – Marina Oliveira (12:52)

  • Promove tecnologia para aumentar a economia brasileira
  • Fornece dados de publicações, agentes, especialistas, instituições, empresas, financiamentos, guia, manuais, eventos e notícias

Propriedade Intelectual- Maria dos Anjos (12:04)

  • Lei da propriedade Industrial n° 9279
  • A tecnologia como um bem patrimonial
  • O INPI – garante a exploração exclusiva da propriedade temporariamente
  • Como realizar: busca, legislação, documento, site cadastro, GRU, pagamento, pedido e acompanhamento do processo
  • Patente de 20 anos: em avanço tecnológico, exemplo telefone
  • Patente de 15 anos: em utilidade, nova forma, praticidade, exemplo tesoura
  • Não é possível patentear uma ideia, exemplo carrapicho, planta é uma descoberta, já o velcro é uma invenção que pode ser patenteada
  • Patenteie, se for valiosa, será aproveitada, desenvolvida, gerando novos negócios e produtos

Entrevista: Glauco Arbix fala sobre a FINEP e as suas iniciativas (13:56)

  • Instituição financeira do MCTI do Governo Federal
  • Oferece crédito para desenvolver tecnologia via edital, de chamada pública
  • A Universidade pode enviar projeto cooperativo com empresa
  • Os recursos podem ser de transferência não reembolsável, de crédito (juros baixo e negativo), financiando-se até 90% do projeto
  • Empresas P, M, G podem disputar recursos, nascentes também, via fundos de investimento do FINEP
  • Preferência para áreas de energia renovável, saúde, agricultura, espacial e de TIC.

Bloco 2 – Cadeia de valor da inovação – geração de ideias

Criatividade – Ilíada de Castro (11:44)

  • Potencial criativo, bloqueios, técnicas para desenvolver pensamento,
  • Pense em uma colmeia, ela vai ser a mesma daqui a cinquenta anos, já uma casa não, o ser humano é por natureza criativo
  • Existem alguns tipos de bloqueios – como pensar que não é criativo, outro bloqueio existe, pois ´na nossa cultura é proibido errar
  • Técnicas: Brainstorm (exemplo empresa de embalar porcelana), seja explorador, conheça outras áreas

Processos de suporte à geração de ideias – Simone Lara (8:10)

  • Brainstorm (tema, um coordenador, todas ideias devem ser registradas, sem críticas)
  • Brainwrittten (tema, ideias individual, cada um tem sua vez e passa-se ao próximo após 5 minutos, seleciona-se ideias)
  • 5W1H (plano de alão para executar tarefas e problemas, What?, When?, Where?, Why?, Who?, How?)

Design Thinking – André Fleury (9:11)

  • Metodologia para pensar fora da caixa, usado geralmente quando o problema não foi bem definido
  • Um exemplo de problema bem definido é o jogo de xadrez, que tem sempre a mesma finalidade, por isso o melhor jogador do mundo é um computador
  • Com um problema não definido, precisa-se colocar um fim, com solução boa ou ruim
  • Elaborar perguntas, fazer pesquisa de campo, coletar informações para procurar solução, prototipação, MVP
  • – Imersão, geração de ideias e prototipação

Pré-desenvolvimento de ideias e Fuzzy Front EndRaoni Bagno (13:40)

  • Desenvolver ideias e selecionar projetos
  • Ideia, seleção, desenvolvimento, difusão, inovação
  • Esse modelo fuzzy front end quer dizer frente difusa, ou seja, as ideias não estão claras ainda
  • A ideia precisa se transformar em valor
  • Chances e boas ideias são melhores em empresas e pessoas preparadas
  • Como saber onde vai chegar as nossas ideias (micro-ondas, post it, Viagra), etc.)
  • Analogia com uma viagem (usa-se um mapa para planejar direção e tempo de chegada)

Introdução à valoração de projetos – Abraão Saraiva Junior (16:30)

  • Matemática financeira
  • Custo de oportunidade
  • Investimento VPL e TIR
  • COC – custo de oportunidade do capital – taxa mínima de retorno esperada – decisão no que é melhor investir
  • Como saber se o negocio é viável ou não? (Fluxo de caixa, valor futuro, valor presente, período, taxa de juros)
  • Calcular payback simples, calcular payback descontado

Gestão de Portfólio: conceitos – Marly Carvalho (11:04)

  • Quais são os melhores projetos?
  • Como selecionar projetos
  • Modelo Fuzzy front end
  • Modelo Pipeline
  • Modelo stage gate

Gestão de Portfólio: abordagens e ferramentas – Marly Carvalho (19:45)

  • Projeto, seleção, monitoramento, alocação de recursos em vários ciclos de decisão, olhar também para a interdependência de projetos
  • Ferramenta frequentemente utilizada: diagrama de bolha, com definição do projeto e seu custo

Entrevista: Jaime Finguerut fala sobre a experiência do Centro de Tecnologia Canivieira (17:59) vídeo sem muita informação relevante

Entrevista: Andrá Cabrera fala sobre a experiência do Centro de Tecnologia Canivieira (15:17) vídeo sem muita informação relevante

Bloco 3 – Cadeia de valor da inovação – conversão II: desenvolvimento de produtos

Gestão do desenvolvimento de produtos – Eduardo Zancul (21:49)

  • Vai desde a ideia, lançamento, acompanhamento até a retirada de produto do mercado

1.Pré desenvolvimento – ideia inicial (dias), planejamento de produto, projeto

2.Desenvolvimento (meses), projeto detalhado, preparação da produção, lançamento do produto

3.Acompanhamento no mercado (anos), retirada do produto no final do ciclo de vida

Bloco 3 – Cadeia de valor da inovação – conversão II: desenvolvimento de produtos

´Processo de desenvolvimento de produtos – Eduardo Zancul (20:28)

  • A tendência do mercado é de que se precisa de variedade, cada vez os produtos são mais complexos e com menos tempo de vida, por isso é importante se diminuir o tempo de lançamento
  • Para isso é necessário um trabalho em conjunto, com contato direto com fornecedores, com abordagem integrada
  • Métodos para desenvolvimento: engenharia simultânea (mudanças mais cedo, mais barato, o recall é muito caro), stage gate, times de trabalho, times de desenvolvimento

Processos de inovação – Mario Salerno (14:59)

  • Modelos de processo de novação: Stage gate, Pipeline, Inovação aberta

Gestão de projetos 1, 2, 3, 4 – Felipe Lopes (14:03)

  • Melhor fluxo de materiais na engenharia japonesa, sem estoques, atravessamento rápido de materiais, serviço, informações, lote pequeno, diminuição do capital de giro, kanban.

Entrevista: Junico Antunes fala sobre o desenvolvimento de processos produtos (8:23) não tem dados relevantes

QFD – Desdobramento da Função Qualidade – Fernando Bersaneti (9:06)

Video do choque cultural dos americanos na fábrica japonesa

Falar de Qualidade, mudançs cedo na produção são importantes

Avaliação do Ciclo de Vida – Aldo Roberto Ometto (14:19) não tem dados relevantes

Entrevista: André Ferrarese, gestor de inovação da Mahle (8:36) não tem dados relevantes

Marketing 1, 2 – Luciano Mazza (13:05) não tem dados relevantes

Entrevista: gestora Vesper Trabulsi da Hypermarcas (14:39)

  • Canal do marketing online atinge público alvo, sem intermediação e com individualização
  • Exemplo na Hypermarcas, contratou-se uma blogueira, mãe, para ter contato direto e conversa com as consumidoras através do blog, seu canal de comunicação
  • Com isso, tem-se uma troca de informações mais íntima

Organização qualificante – Marcia Terra (18:01)

  • Estratégia a ser adotada
  • Olhar para a administração da produção
  • INPUT, transformação, OUTPUT
  • Volume, variedade, variação visibilidade
  • Objetivo qualificador e ganhador de pedido (qualidade, custo, confiabilidade, rapidez e flexibilidade)

Gestão por competência – Marcia Terra (17:51)

  • Individuo qualificado e sempre se qualificando, descentralizada, multiplicidade de atores interagindo
  • CHA – Conhecimento + Habilidade + Atitude
  • Seria a junção do: saber o que fazer, como fazer e querer fazer

Bloco 4 – Inovando mais e mais radicalmente

Por que projetos de inovação radical são diferentes: uma abordagem multidimensional de incertezas – Leonardo Gomes (20:18)

  • Inovação X Incertezas – exemplo: previsão do tempo (altera interesse das pessoas em viajar)
  • Risco é diferente de incerteza, o risco pode ser calculável, por exemplo, dado tem 1/6 de probabilidade de sair o número escolhido

Abordagens para gestão de incertezas – Mario Salerno (17:22) não tem dados relevantes

Exemplo de aplicação da abordagem Learning Plan – Leonardo Gomes (9:48)

  • Interação, ciclo de aprendizagem, equacionar incertezas de forma sistemática
  • Identificar a incerteza, selecionar a critério (alta, média, baixa incerteza), fazer experimento, cronograma, aprender, avaliar o que foi aprendido, analisar, reiniciar

Gestão do selecionismo – Mario Salerno (12:18)

  • Professor fala do caso da Braskem, dados estão disponíveis no site da empresa. A visão da empresa é ser líder mundial de química sustentável, usando fonte renovável
  • A Braskem tem um produto de origem renovável, vegetal, o polietileno (2 carbonos) gerado a partir da cana-de-açúcar
  • A Braskem tem o objetivo de fazer o polipropileno – PP (3 carbonos) de origem renovável – Não há rota tecnológica para isso
  • Por isso, a alternativa usada é o selecionismo, fazendo vários testes e não segundo a uma única rota, procura-se menor custo de produção

Entrevista: inovação radical com Rafael Navarro – Braskem (5:03)

  • Fonte de inovação (cana-de-açúcar e conjuntura favorável)

Entrevista: inovação radical com Daniel Gonzaga – Natura (5:59)

  • Gestão de portfólio incremental e radical, equipe de P&D com 250 colaboradores, estrutura dedicada à novos negócios

Entrevista: inovação radical com Marcos Oliveira – Whirlpool (4:38)

  • Aderência da estratégia de inovação da empresa dedicada à marcas e categorias diferentes

Entrevista: inovação radical com Frederico Braga- Odebrecht (5:08)

  • Inovação faz parte da cultura, faz inovação aberta, fundos do BNDES, FINEP, FAPESP

Inovação como função – Raoni Bagno (20:24) Inovação usando teoria da Administração da Produção

Abordagem DNA I, II (Descoberta – iNcubação – Aceleração) – Mario Salerno (10:36)

  • D – Descoberta – Conceitos, pesquisas, buscar ideias internas ou externas
  • N – Incubação – Experiência, experimentação, desenvolvimento do negócio
  • A – Acelerar – Escalonamento, comercialização

Palestra com Gina O’Connor sobre inovação radical – parte 1, 2 (22:52)

  • Exemplos de análises de empresas, dados não muito relevantes, fala de cargos de profissionais de inovação e como eles recebem ou não promoção de acordo com o lançamento do produto

Atingindo a expertise empreendedora – Leonardo Gomes (19:39)

  • Novato – Estudos – Se torna especialista

Modelo de Negócio Canvas – André Fleury (19:24)

  • Como a empresa cria estratégia e captura valor
  • 9 caixinhas do Canvas

Modelo de Negócio Canvas – André Fleury (19:24)

  • 1 – Segmento de clientes: cliente, razão da existência, atividade de qualquer corporação
  • 2 – Proposta de valor: já se sabe pra quem entregar valor, agora como resolver um problema ou atender a necessidade do cliente, qual o tipo de valor que quero entregar (radical, incremental)
  • 3 – Canais de acesso: diferentes formas que vou entrar em contato, web, loja, revendedores
  • 4 – Relacionamento com o cliente: qual a estratégia para adquirir, reter, expandir o relacionamento com o cliente

Modelo de Negócio Canvas – André Fleury (19:24)

  • 5 – Modelo de receita: como criar e entregar valor, para isso, quais recursos será preciso (pessoas, tecnologias, máquinas)
  • 6 – Atividades principais: mobilizar recursos, processos organizacionais, criar, entregar valor
  • 7 – Parcerias principais: sozinho é difícil, terceirizar ou compartilhar recursos
  • 8 – Estrutura de custos: custos diretos, indiretos, fixo, variável, de escala, de escopo, recursos para diferentes estágios de maturação
  • 9 – Recurso principal: Fábrica, transporte

Modelo de Negócio Canvas – André Fleury (19:24)

  • 9 Caixinhas do Canvas

 

About Patricia Matsuda

Possui Graduação em Administração Pública pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2006). Mestrado (2010) e Doutorado (2015) pelo Programa de Pós Graduação em Engenharia de Produção da Universidade Federal de São Carlos. Realizou o doutorado sanduíche na University of Manchester - Manchester Business School (06/2013 - 04/2014). Foi Professora Universitária das Faculdades Integradas de São Carlos pelo período de dois anos (2007 - 2009). Foi bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) desde 2011 até 2014. Participa do Núcleo de Estudos em Sociologia Econômica e das Finanças (NESEFI). Foi Professora da disciplina de Operações, Serviços e Sistemas Produtivos II e orientadora de TCC no curso de Administração na Faculdade Sumaré. Ainda na Faculdade Sumaré foi Professora Conteudista da disciplina de ensino à distância Aplicação e Análise de Casos desde 2014 até 2017. É atualmente Professora da disciplina de Gestão Estratégica da Inovação e Teoria da Inovação e Competitividade para o curso de Administração no Centro Universitário da FEI - Unidade São Bernardo do Campo. Participa ativamente de eventos de Empreendedorismo, criatividade, inovação e startups como: Avaliadora na Bootcamp Final e Demoday do InovAtiva Brasil ; Palestrante na Oficina de criatividade e inovação do FEI Portas Abertas ; Avaliadora no Pitch Fight do Centro Universitário FEI ; Participação da organização do Congresso de Inovação no Centro Universitário FEI; Avaliadora de projetos no evento Inova FEI; Jurada no Startup Weekend edição ABC. Atualmente conduz pesquisas de iniciação científica com alunos do Centro Universitário FEI, com bolsa Pipex, nos seguintes temas: Startup Enxuta, Empresas do Cubo, Análise de ativos intangíveis, Startups abertas, Wenovate, Aceleradoras e Incubadoras de startups.
View all posts by Patricia Matsuda →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *